Category Archives: my life

La vie en pink – Primeiro do ano

Aeaeaeae primeiro post do ano e primeiro vídeo do ano, demorei um pouco né? Sorry, rs.
Já que esta todo mundo na onda do BBB, dê uma espiadinha hahaha 😉


ps: o video aqui no blog fica achatado, já no YouTube fica normal.

Facebook do Kahell (tatuador); Escola de Fotografia Portfolio
Qualquer dúvida, perguntem 😉
xoxo :*

Sentimentos

A cabeça para de se ocupar por um segundo e o peito grita, um grito tão silencioso que quase mata a minha alma, tampo os ouvidos e tento pensar em outras coisas na esperança de não escutar, mas não adianta, isso me persegue. Ultimamente é um grito mais suave, já não tento não escutar e até me pego rindo de vez em quando, mas ainda dói e o arrependimento ainda esta aqui dentro e grita junto uma vez ou outra.
Eu à amo, penso nela o dia inteiro, numa música, numa comida, numa palavra ou simplesmente num pensamento qualquer, eu à ‘vejo’ em qualquer lugar, em qualquer pessoa, não é fácil tirar a sua vida dos seus pensamentos.
A melhor coisa que aconteceu em toda a minha vida: conhecê-la!
Minha loira do Bom Jesus ou não mais minha e nem mais loira. Sua Menina do Sushiaki ou não literalmente, mas ainda sim totalmente sua. A minha cabeça recria as memórias à toda hora, ás vezes até me sinto como se estivesse num filme, passo horas observando o cenário, as falas, os gestos, as protagonistas, o momento, tudo.

Shopping Curitiba; Palladium; matsuri; aliança; natal; primeira; fogos; morango; Peggy Sue; Kauf; 2009; pérolas; feirinha; tapioca; bacon; botânico; tatuagem; Cultura; vida; Brighton; panico; praia; panda; atletiba; cobrinha; comida; promessas; café; amor; sorrisos; Beatles; amizade; planos; músicas; filmes; eternidade; dueto; outubro; família; aishiteru; holly; infinito; signo; chá; crocs; piscina; porquinha; naomily; circular sul; rosas; olhar; Bom Jesus; …

Pensando bem, talvez eu não à amo, talvez o sofrimento seja por não ser importante pra alguém que ainda é, e muito, ou não ser mais o amor de alguém, alguém não, o dela. Talvez seja porque outra pessoa terá (e já tem) o sorriso mais lindo que eu já pude ter, talvez seja por outra pessoa ter a minha vida em suas mãos, mas não que isso seja amor, não é mesmo? Na verdade, nem sei mais o que é amor, nem sei mais o que eu sinto ou do que eu sou capaz de sentir. Talvez eu seja narcisista demais pra amar alguém além de mim.
A segunda melhor coisa na minha vida: perdê-la!
Como uma boa narcisista, ás vezes preciso pensar em mim, então na mesma proporção que conhecer me fez crescer, perder também me fez crescer muito, a única diferença que por um motivo eu aprendi da melhor forma, sendo feliz e pelo outro motivo foi da pior. Sempre tento encontrar o lado bom em tudo e ainda estou procurando alguns que me façam seguir em frente, pra ser bem sincera não esta sendo nada fácil, mas eu sou a pink né?! Hoje eu sou outra pessoa, melhor com certeza, muita coisa mudou e muita coisa boa esta acontecendo desde que à perdi.
Parece que eu acabei de acordar de um sonho e tudo o que eu mais quero é voltar pra ele. Foram os melhores quatro anos da minha vida, passei ao lado dela momentos importante para mim que nunca conseguirei esquecer, está tão difícil me acostumar com a ausência da companhia dela, do colo, da intimidade, de tudo.
Eu não quero esquecê-la, é o sentimento mais sincero e bonito que já teve dentro de mim e não quero perdê-lo, não importa, eu só guardo as coisas boas e só desejo que ela seja feliz, mesmo não sendo eu o motivo da felicidade.
Se daqui há 10 anos vou olhar pra minha tatuagem e lembrar dela? Com um sorriso e um brilho nos olhos, daqui até a eternidade.

infinito

“Serás o meu amor,
Serás a minha paz!” ♥

La vie en pink – Apresentação.

Olá everybody, hoje eu gravei mais um episódio da série ‘la vie en pink’. Neste video falo um pouco sobre mim e sobre a viagem, não reparem nos meus 10kg de bochecha, mas músicas e gritarias e nos meus erros HAHAHA

Tirei algumas fotos do livro guia de Brighton, não gostei muito da cor que elas ficaram, mas como minha mão tá ruinzinha não deu pra tirar outras 😦

mapa

Mapa que vem atrás do livro.

Brighton

O guia é todo em inglês

Brighton Pier

Qualquer dúvida e crítica, estarei aqui 😉

beijinhos, beijinhos :*

Projeto pra 2014

2014

2014 pra quem entende, rs.

Olá everybody, como vai vocês? Bom, hoje eu vim falar um pouco sobre o que esta por vir e como estou ansiosa pelo meu novo projeto/meta de vida pra 2014.

Tudo irá se resumir em fotografia e viagem. O ano de 2014 será muito decisivo pra mim (e bem trabalhoso também), pois tenho planos de viajar pra Inglaterra em 2015 e como uma viagem não é algo que você faz da noite pro dia (digo pra quem não tem dinheiro, como eu haha), começarei a planejar e executar já. Estou colocando tudo no papel e super ansiosa pra começar, tanto que já comecei a fazer os videos, ahhhh deixa eu explicar pra vocês né, vai rolar assim: resolvi fazer um “diário” pra tudo isso, pra ver a evolução dos processos e tudo mais, só que eu não quero guardar esse diário só pra mim e como não sou muito boa em escrever (já devem ter notado) resolvi gravar videos, gravarei todo sábado, a série chamará ‘la vie en pink’. Também começarei o meu curso de fotografia ♥, tenho vários projetos fotográficos que já começam no dia 1 de janeiro e darei tudo de mim pra melhorar a cada dia mais e assim me tornar uma fotógrafa.

Aos poucos eu vou explicando tudo detalhado, tanto por video, como por posts escritos (farei um esforço dependendo do caso, rs) dando várias dicas e tudo mais, espero que gostem e torçam pra que tudo de certo.

beijinhos :*

rock’n’roll

Mexendo aqui, achei esse post como rascunho. Tinha mais fotos com essas poses, mas como meu HD antigo estragou, postarei assim mesmo.

“Sei que faz muito tempo que não posto nada aqui, eu espero (e quero muito) que agora eu tenha mais empenho de sempre postar algo novo.
Bom, estava dando uma olhada nas minhas fotos e eu percebi que tenho muita foto fazendo o sinal do rock’n’roll, e então, resolvi colocar elas aqui no blog…

 

Beijinhos

I’m back

Olá, depois de tanto tempo sem entrar aqui, resolvi voltar pra ficar (se Deus quiser e meu desanimo permitir). Aconteceram várias coisas na minha vida nesse tempo que fiquei longe, mas agora quero que tudo fique apenas no passado e pensar no agora e no amanhã.

Volto com projetos novos, ideias novas, fotos novas (que novidade né, rs), tudo novo. Como estou ocupando a maior parte do meu tempo (com trabalho, academia, estudo da Doutrina Espírita) não prometo muita coisa por enquanto.  Com o tempo, eu ajeitarei tudo o que esta confuso aqui e tudo ficará bem.

Por enquanto é isso, mas esperem por mais visitas minhas aqui 😉

Imagem

xoxo :*

Lutando pelos meus, seus, nossos direitos!

(foto do filme: Tempos Modernos)

Depois do meu post sobre a Cultura, vejo muita gente reclamando por estarmos lutando pelos nossos direito, e uma colega minha escreveu um texto que diz tudo:

“Navegando pela Internet, conversando com amigos ou andando pela rua, vez por outra leio/escuto pessoas repudiando quem luta pelos seus direitos. É comum ver as pessoas criticando os movimentos sociais, os sindicalistas e, dentro da nossa realidade atual, vemos ainda muitos “colaboradores” criticando os insurgentes e repetindo como papagaios bem treinados os dizeres da maioria dos gestores: “Não está satisfeito? Pede pra sair… tem um monte de gente querendo entrar”. Por essas pessoas, eu só lamento. Lamento pela limitação deles no tempo, no espaço e dentro da sociedade.
De tão limitados no tempo, e de tão raso o conhecimento de história, essas pessoas não sabem que os direitos trabalhistas que os beneficiam foram conquistados com suor e sangue de outros trabalhadores. Usufruem de férias, 13º, DSR, licença maternidade/paternidade, seguros diversos etc., mas agem como se o mundo já tenha sido criado assim, ou que é tudo fruto da bondade dos empregadores que eles tanto defendem. Não dizem sequer um “muito obrigado” às centenas de pessoas que morreram lutando por esses direitos ao longo dos séculos.
Esses cordeirinhos são tão limitados no espaço, pobrezinhos, que não sabem que em outros países estas leis são muito mais antigas e mais fortes que no Brasil. Adoram ir pra Paris tirar fotos na frente da torre Eiffel, mas não conseguem associar a Revolução Francesa às relações de trabalho atuais. Adoram escutar os Beatles e Rolling Stones, mas não sabe que os primeiros sindicatos foram criados (e legalizados) na Inglaterra e que, se não fossem eles, nós ainda estaríamos trabalhando 20 horas por dia como na época da Revolução Industrial. Coitados, trabalham 44 horas semanais tão alegremente que não perceberam que o Brasil é um dos países que permitem as maiores jornadas de trabalho, enquanto em outros como a Espanha, a Austrália e a Noruega, em 2003 (sim! 10 anos atrás!) a jornada de trabalho já era de cerca de 35 horas semanais.
Essas pessoas são tão limitadas socialmente que não percebem a importância do apoio à luta de outros grupos que não estejam dentro de um raio de 2 metros do próprio umbigo. Eles deveriam saber que não precisa ser criança pra lutar os direitos das crianças e adolescentes, não precisa ser uma árvore pra defender a preservação das matas e não precisa estar morto pra defender o direito à memória.
São tão limitados de imaginação que não são capazes de criar uma realidade diferente dessa em que vivem. E de tão fracos, mesmo que imaginassem, não conseguiriam lutar por ela!
Por essas pessoas, eu só lamento.”
 (Karen Matias)

Não preciso dizer mais nada né?

;*